InuYasha (戦国御伽草子 犬夜叉 Sengoku Otogizōshi InuYasha) é uma série de mangá e anime criada por Takahashi Rumiko, tendo sua versão animada produzida pelo estúdio Sunrise de 2000 a 2004, totalizando 167 episódios. Em 2009 a produção do anime foi retomada pelo mesmo estúdio, fechado a série de vez com mais 26 episódios intitulados InuYasha Kanketsu-hen.

A história se inicia quando Higurashi Kagome, uma colegial como qualquer outra, sem querer cai no misterioso poço encontrado no templo de sua família e acaba parando na idade feudal japonesa, cheio de criaturas místicas e malígnas. Nesse período conturbado a jovem conhece um meio-dêmonio (Hanyou) chamado InuYasha e juntos partem para uma aventura em busca dos fraguimentos da Jóia de 4 almas (Shikon no Tama) que se espalhou pelos 4 cantos do país.

Para não tornar essa postagem muito longa e desgastante de ler vou tentar resumir ao máximo minha análise. De início a história parece ser pouco desenvolvida, estando inteiramente presa na jornada em busca dos fraguimentos da jóia como pretexto para o desenrolar da série, tendo vilões aleatórios que iriam surgir no caminho apenas para por um pouco de ação e atrasar os protagonistas. Entretando a medida que a história caminha, o expectador ve o quão complexo é a história, já que a autora conseguiu conciliar ação, aventura, comédia, romance e uma pitada de drama.

Vale lembrar que o romance em InuYasha, ao contrário de muitos outros animes e mangás, consegue ficar em primeiro plano na história, não ficando ofuscado pelo enfoque nas lutas. O famoso triângulo amoroso formado entre os protagonistas (InuYasha, Kagome e Kikyou) é muito envolvente, apesar de que é notável uma desproporção imensa se for levar em conta de que a relação de InuYasha com Kikyou é muito mais adulta, sendo que a relação com Kagome é bem mais infantil e recheada de desentendimentos. Quanto ao vilão da história, manipulador e sarcástico, há momentos que chega a ficar massante o tempo que se gasta perseguindo-o e muito repetitivo o desejo dos personagens em querer derrota-lo, apesar de que as emboscadas e planos do antagonista são muito bem elaborados, tornando os momentos da história empolgantes.

Os combates presentes em InuYasha não chegam a ser boas faltando uma dose de luta corpo a corpo e habilidade com armas, salvo algumas exessões, a maioria é um simples brandir de espada e liberação de um rajado de energia (talvez a Rumiko precise de algumas dicas do Tite Kubo). Mesmo assim não são tediosas e nem a ponto de estragar a série.

Finalizando o post, creio que InuYasha sem dúvida alguma marcou a infância de muitos, sendo uma ótima trama e recomendado para aqueles que estão cansados de séries focadas apenas em ação. A boa história que mescla romance, aventura, ação e comédia continua a agradar muito o público.

Anúncios